Archive

Posts Tagged ‘Graphic Design’

Cartaz Museu da Casa Brasileira 2010

O prêmio já saiu a algumas semanas. Mas resolvi postar mesmo assim, para quem ainda não viu…

O cartaz do 24º Prêmio Museu da Casa Brasileira escolhido para esse ano foi esse aqui:

De autoria de Nadezhda Rocha e Julia Masagão, designers de São Paulo.

E esse recebeu a mensão honrosa:

De autoria de Fernanda Belo dos Santos.

Segundo o Juri, “foram levados em consideração pela comissão os critérios pré-definidos pelo regulamento do Concurso do Cartaz para o 24º Prêmio Design Museu da Casa Brasileira, e pela coordenação do júri, no sentido de selecionar um conjunto de obras, das quais uma escolhida como vencedora, que:

– refletissem a excelência do Prêmio com originalidade, criatividade e qualidade gráfica;
– contribuíssem expressivamente para o desenvolvimento da linguagem gráfica do cartaz;
– buscassem ampliar a percepção do design favorecendo ideias que destacassem o caráter processual do projeto e não apenas produtos ou objetos;
– promovessem uma reflexão sobre o design brasileiro.

Os outros cartazes selecinoados foram esses: (desculpem o tamanho das imagens, foi esse o tamanho máximo divulgado no site do MCB)

Vicente Pessoa e Felipe Turcheti, designers graficos, BH

Ricardo Nucci Vieira, estudante da USP - Arquitetura e Urbanismo

Nívea Maria Justino da Silva, Flavio Barreto Reis Araujo e Julia Saragoça, arquitetos, SP

Leonardo Macias, publicitário, SP

Katia Verissimo, designer gráfica, SP

João Lucas Thiene Leme, designer, Campinas

oao Lucas Thiene Leme, designer, Campinas

Fabricia Ribeiro, designer, SP

Catarina Bessell de Jorge, estudande arquitetura e urabanismo USP

Aline Coutinho de Araújo e Leandro Lopes de Oliveira, arquitetos, SP

Alexandre Muner, designer gráfico, Rio de Janeiro

Top Designers #3: Clifford Richards

Clifford Richards

Hoje descobri um novo designer, novo para mim, mas nem tão novo para a humanidade. Clifford Richards fez sucesso nos anos 60 e 70 como ícone no design gráfico de brinquedos e caixas de papel na Grã-Bretanha.

Estudou ilustração na South East Essex School of Art. E iniciou sua carreira como diretor de arte da SH Benson. Mais tarde trabalhou numa pequena agencia chamada Connell May & Stevenson, onde desenvolveu seus primeiros produtos de papel cartão: um conjunto de caixas de presentes para a Bloomingdale’s de Nova York e uma coleção de animais feitos de papel. Totalmente inovadores, esses produtos traduziam o estilo dos anos sessenta e se destacaram por sua originalidade e simpatia. Por esse sucesso, ele deixou a agência e se concentrou no desenvolvimento de novos produtos e projetos de design gráfico com papel de forma autônoma.

Slotzoo - coruja, panda e gato da série de animais decorativos de papel - um dos primeiros trabalhos

Caixas de presente para a Bloomingdales de NY.

Caixas de presente, pré-montadas com encaixe e sem cola, em silk screen.

Entre seus produtos mais famosos se destaca a coleção de caixas de papel com motivos Pop ultra coloridos que virou um must-have instantâneo, eles eram perfeitos para a época:  divertidos, modernos, e um meio barato e rápido para embrulhar presentes. Em pouco tempo, as caixas se espalharam pela Grã-Bretanha e posteriormente, por toda a Europa.

Brinquedos de Papelão auto-montado para a Polypops

Além das caixas de presente, sua série de animais e outros kits de personagens em papelão decolaram em tempo para o Natal de 1967 e mantiveram-se popular na década de 1970. Uma série de brinquedos de papelão auto-montado saiu paralelamente para a Polypops, uma empresa de brinquedos infantis de papelão.

Noah’s Ark Poster

Outro trabalho bastante famoso é seu poster da Arca de Noé que decorou muitos quartos infantis no começo dos anos 70.

Robot Mug para a Graham and Green Kitchen e Big Tomato Company

Clifford Richards, hoje aos 75 anos, continua trabalhando para empresas como Big Tomato Company, Graham & Green e Original Metal Box Company (espero que sim, pois a última notícia que encontrei dele foi de 2008). Além disso, teve seus produtos adquiridos pela Victoria & Albert Museum para sua coleção permanente (Museum of Childhood), em Londres.

Clifford Richards é um dos grandes expoentes do design gráfico inglês. Muito do que temos hoje em termos de caixas de presente, paper toys e displays divesos podem ser considerados heranças desse designer que lançou tendências e influenciou gerações, como a minha e a sua, mesmo sem nunca termos ouvido falar dele antes, não é?

Via Word of Kane

Lamentável

É só isso que eu tenho a dizer da eleição do suposto logo para a Copa de 2014 no Brasil. Segundo matéria no site da Globo Esporte, O desenho, nas cores verde, amarelo e vermelho, é inspirado na taça e foi aprovado por um grupo de notáveis que contava, entre outros, com a modelo Gisele Bündchen e a cantora Ivete Sangalo. (…) O GLOBOESPORTE.COM conseguiu, nesta terça, a versão colorida que foi registrada pela Fifa no OHMI (Office of Harmonization for the Internal Market – Escritório de Marcas e Registro de Design da União Europeia) no dia 29 de março.

Várias agências ofereceram propostas e um grupo de notáveis foi reunido para escolher a vencedora entre as sete opções. Participaram da eleição o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, o secretário-executivo da Fifa, Jérôme Valcke, o arquiteto Oscar Niemeyer, o escritor Paulo Coelho, a cantora Ivete Sangalo, a modelo Gisele Bündchen e o designer Hans Donner.

No dia 8 de julho, num teatro na Mandela Square, em Joanesburgo, a Fifa fará o anúncio oficial da logomarca de 2014. O desenho estará nas camisas de todas as seleções que participarão das eliminatórias e da Copa realizada no Brasil.” Fonte

Sem falar nos aspectos técnico do logo, que por sí só é pobre e mal acabado, o que o grupo escolhido para sua aprovação tem de conhecimento em design gráfico? Com excessão de Oscar Niemeyer e Hans Donner.

Por que, eu pergunto, designers importantes do Brasil não participaram dessa eleição?

É isso que vai representar o Brasil e, por consequência, o design brasileiro, na Copa de 2014?

Lamentável! É isso que eu chamaria de Banana Design.

(Eu espero que a notícia seja falsa, ou que essa logo seja falsa…)

Desfile de Convites

Ou convites para desfile, como preferir…

A Revista Wallpaper publicou na sua webpage os convites para os desfiles das coleções Outono-Inverno 2010 das principais grifes européias no Paris Fashion Week. Segue aí um exemplo de que nem só no vestuário essas grifes dão um show de criatividade.

Z Zegna e seu convite de lã.

Chisato e seu convite inflável.

Pringle of Scotland, com ilustração de David Shrigley,

Op-Art e handwriting para Pierre Hardy.

Nina Ricci e seu convite impresso em uma fita de gase.

Louis Vuitton e seu convite em forma de tag de viagem

Convite perfurado, da Lacoste

John Galliano e seu convite com pele de animal - espero que seja sintético

Maison Martin Margiela e seu convite em forma de brinquedo.

Medalha para a coleção inspirada no militar, da Commonwealth Utilities.

Jean Paul Gaultier, e seu convite de mapa

Convite da Maison Martin Margiela, inspirado nas bonecas russas

Via.

Visual Identity

fevereiro 17, 2010 1 comentário

Duas identidades visuais para se admirar: Eurocopa 2012 da UEFA e Olimpiadas de Inverno de Vancouver (2010). Quem não é da área, olha e gosta, já para nós, designers, isso tem um significado a mais… olhar todo esse conjunto de elementos, grafismos, tipologias, vetores, texturas… formando as mais diversas peças, sem cair na mesmiçe, na mera repetição de informações, nos deixa extasiados. Taí uma visão do macro, nos mínimos detalhes.

UEFA 2012:

A identidade foi desenvolvida pelo escritório português Brandia Central, que se baseou nos grafismos florais ucranianos para desenvolver toda a comunicação.

Para conferir como eles idealizaram isso tudo, assista o vídeo abaixo:

Olimpíadas de Vancouver (2010):

Já as Olimpíadas de Vancouver foram criadas pelo Designer argentino Leo Obstbaum e sua equipe, que infelizmente, faleceu antes de ver realizada sua obra prima. Link sobre.

Calendário 2010

dezembro 16, 2009 Deixe um comentário

Calendário da Studio 8 para a Fedrigoni, de Londres. Fedrigoni é uma indústria de papel, e logicamente, o papel usado para fazer o calendário é uma das linhas de papéis fabricados pela indústria. Assim fica fácil, né?

Foi inspirado nas folhinhas de post-it, mas cortado a laser e usado de forma inovadora para um calendário de mesa.

ABC das marcas

outubro 21, 2009 Deixe um comentário

black_full

mid_white

Poster The ABC’s of Branding, ótima criação do designer Jason Dean, do The Best Part. Alguém se prontifica a identificar as marcas que aparecem aqui?

%d blogueiros gostam disto: