Arquivo

Archive for the ‘Graphic Design’ Category

BEN L’ONCLE SOUL -SOULMAN

Pára tudo e dá uma olhada nesse clip. Aproveite para ouvir um soul bacana em francês.

Esse vídeo foi indicação do meu irmão, ele compartilhou por causa da música e eu compartilho por causa do design gráfico. Não que a música não seja boa, muito pelo contrário, é uma daquelas músicas alegres e supergostosas de ouvir. Mas a edição do vídeo, com capas de discos antigos, cartazes de cinema ou musicais, é um espetáculo a parte.

Graphic Design: Stephane Lamalle – Florian Fusy

Para pessoas criativas

fevereiro 9, 2011 3 comentários

A alguns dias atrás, quando estava pesquisando displays para ponto de venda para um trabalho que eu estava fazendo aqui na agência, encontrei sem querer o site da Smuzi. Me chamou a atenção a variedade e originalidade de suas criações e pensei em trazer um pouquinho da marca para o Objeteria, para compartilhar com vocês minha descoberta. Afinal, o slogan da Smuzi é “Design para pessoas criativas”. Ou seja…


Entrei em contato com a Brenda [muito atenciosa] e ela me falou um pouquinho a mais sobre o trabalho da empresa. Querem ver?
A Smuzi nasceu na Itália e foi fundada pelo artista Mário Troise. O objetivo da Smuzi é criar produtos simples, práticos e maravilhosos para quem está cansado do convencional. Ser “cool” ou “na moda” significa seguir tendências, não criá-las. Nossos artistas não se preocupam tanto com o que está na moda e sim com formas de criar produtos originais. Esta é a ideologia por trás do nosso slogan.


Nosso principal escritório está em São Paulo. Aqui temos um centro de distribuição, estúdio, estoques, etc.O outro centro fica em Wisconsin, nos Estados Unidos. E temos também uma central na China que cuida dos produtos feitos na Ásia. Aqui está um mapinha:

Alguns designers são Brasileiros, mas a maioria é de outros países.
Todos os nossos produtos são feitos com o consumidor final em mente. Criamos sempre pensando na utilidade do produto, no valor que podemos agregar e de quais formas podemos melhorar o design dos objetos. Os produtos são vendidos para empresas grandes e pequenas, distribuidoras, verejistas e consumidores.
A Smuzi cria produtos mas também representa outras marcas no Brasil. Esse é o caso de alguns produtos do site que são importados da Europa e Estados Unidos.
Vendemos os produtos direto no Smuzi Shop mas temos lojas autorizadas. No Brasil estamos cadastrando novas lojas autorizadas em todos os estados.”


Gostou do que viu? Conte aí…

Bee-mbalagem

outubro 20, 2010 Deixe um comentário

Assim, quem acessa esse blog, com certeza acessa também o Lovely Package, por isso eu evito postar coisas que eu vejo lá, aqui. Mas eu gostei tanto desse projeto, que quis “enfeitar” meu blog com ele. Aliás, essas fotos eu encontrei no Graphic Exchange. Criação de Ah&Oh Studio, da Polônia.

Cartaz Museu da Casa Brasileira 2010

O prêmio já saiu a algumas semanas. Mas resolvi postar mesmo assim, para quem ainda não viu…

O cartaz do 24º Prêmio Museu da Casa Brasileira escolhido para esse ano foi esse aqui:

De autoria de Nadezhda Rocha e Julia Masagão, designers de São Paulo.

E esse recebeu a mensão honrosa:

De autoria de Fernanda Belo dos Santos.

Segundo o Juri, “foram levados em consideração pela comissão os critérios pré-definidos pelo regulamento do Concurso do Cartaz para o 24º Prêmio Design Museu da Casa Brasileira, e pela coordenação do júri, no sentido de selecionar um conjunto de obras, das quais uma escolhida como vencedora, que:

– refletissem a excelência do Prêmio com originalidade, criatividade e qualidade gráfica;
– contribuíssem expressivamente para o desenvolvimento da linguagem gráfica do cartaz;
– buscassem ampliar a percepção do design favorecendo ideias que destacassem o caráter processual do projeto e não apenas produtos ou objetos;
– promovessem uma reflexão sobre o design brasileiro.

Os outros cartazes selecinoados foram esses: (desculpem o tamanho das imagens, foi esse o tamanho máximo divulgado no site do MCB)

Vicente Pessoa e Felipe Turcheti, designers graficos, BH

Ricardo Nucci Vieira, estudante da USP - Arquitetura e Urbanismo

Nívea Maria Justino da Silva, Flavio Barreto Reis Araujo e Julia Saragoça, arquitetos, SP

Leonardo Macias, publicitário, SP

Katia Verissimo, designer gráfica, SP

João Lucas Thiene Leme, designer, Campinas

oao Lucas Thiene Leme, designer, Campinas

Fabricia Ribeiro, designer, SP

Catarina Bessell de Jorge, estudande arquitetura e urabanismo USP

Aline Coutinho de Araújo e Leandro Lopes de Oliveira, arquitetos, SP

Alexandre Muner, designer gráfico, Rio de Janeiro

Top Designers #3: Clifford Richards

Clifford Richards

Hoje descobri um novo designer, novo para mim, mas nem tão novo para a humanidade. Clifford Richards fez sucesso nos anos 60 e 70 como ícone no design gráfico de brinquedos e caixas de papel na Grã-Bretanha.

Estudou ilustração na South East Essex School of Art. E iniciou sua carreira como diretor de arte da SH Benson. Mais tarde trabalhou numa pequena agencia chamada Connell May & Stevenson, onde desenvolveu seus primeiros produtos de papel cartão: um conjunto de caixas de presentes para a Bloomingdale’s de Nova York e uma coleção de animais feitos de papel. Totalmente inovadores, esses produtos traduziam o estilo dos anos sessenta e se destacaram por sua originalidade e simpatia. Por esse sucesso, ele deixou a agência e se concentrou no desenvolvimento de novos produtos e projetos de design gráfico com papel de forma autônoma.

Slotzoo - coruja, panda e gato da série de animais decorativos de papel - um dos primeiros trabalhos

Caixas de presente para a Bloomingdales de NY.

Caixas de presente, pré-montadas com encaixe e sem cola, em silk screen.

Entre seus produtos mais famosos se destaca a coleção de caixas de papel com motivos Pop ultra coloridos que virou um must-have instantâneo, eles eram perfeitos para a época:  divertidos, modernos, e um meio barato e rápido para embrulhar presentes. Em pouco tempo, as caixas se espalharam pela Grã-Bretanha e posteriormente, por toda a Europa.

Brinquedos de Papelão auto-montado para a Polypops

Além das caixas de presente, sua série de animais e outros kits de personagens em papelão decolaram em tempo para o Natal de 1967 e mantiveram-se popular na década de 1970. Uma série de brinquedos de papelão auto-montado saiu paralelamente para a Polypops, uma empresa de brinquedos infantis de papelão.

Noah’s Ark Poster

Outro trabalho bastante famoso é seu poster da Arca de Noé que decorou muitos quartos infantis no começo dos anos 70.

Robot Mug para a Graham and Green Kitchen e Big Tomato Company

Clifford Richards, hoje aos 75 anos, continua trabalhando para empresas como Big Tomato Company, Graham & Green e Original Metal Box Company (espero que sim, pois a última notícia que encontrei dele foi de 2008). Além disso, teve seus produtos adquiridos pela Victoria & Albert Museum para sua coleção permanente (Museum of Childhood), em Londres.

Clifford Richards é um dos grandes expoentes do design gráfico inglês. Muito do que temos hoje em termos de caixas de presente, paper toys e displays divesos podem ser considerados heranças desse designer que lançou tendências e influenciou gerações, como a minha e a sua, mesmo sem nunca termos ouvido falar dele antes, não é?

Via Word of Kane

Lamentável

É só isso que eu tenho a dizer da eleição do suposto logo para a Copa de 2014 no Brasil. Segundo matéria no site da Globo Esporte, O desenho, nas cores verde, amarelo e vermelho, é inspirado na taça e foi aprovado por um grupo de notáveis que contava, entre outros, com a modelo Gisele Bündchen e a cantora Ivete Sangalo. (…) O GLOBOESPORTE.COM conseguiu, nesta terça, a versão colorida que foi registrada pela Fifa no OHMI (Office of Harmonization for the Internal Market – Escritório de Marcas e Registro de Design da União Europeia) no dia 29 de março.

Várias agências ofereceram propostas e um grupo de notáveis foi reunido para escolher a vencedora entre as sete opções. Participaram da eleição o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, o secretário-executivo da Fifa, Jérôme Valcke, o arquiteto Oscar Niemeyer, o escritor Paulo Coelho, a cantora Ivete Sangalo, a modelo Gisele Bündchen e o designer Hans Donner.

No dia 8 de julho, num teatro na Mandela Square, em Joanesburgo, a Fifa fará o anúncio oficial da logomarca de 2014. O desenho estará nas camisas de todas as seleções que participarão das eliminatórias e da Copa realizada no Brasil.” Fonte

Sem falar nos aspectos técnico do logo, que por sí só é pobre e mal acabado, o que o grupo escolhido para sua aprovação tem de conhecimento em design gráfico? Com excessão de Oscar Niemeyer e Hans Donner.

Por que, eu pergunto, designers importantes do Brasil não participaram dessa eleição?

É isso que vai representar o Brasil e, por consequência, o design brasileiro, na Copa de 2014?

Lamentável! É isso que eu chamaria de Banana Design.

(Eu espero que a notícia seja falsa, ou que essa logo seja falsa…)

%d blogueiros gostam disto: